fechar X
assine
Newsletter

Características da planta parasita fios-de-ovos

Publicado em 10 de Dec de 2014 por Redação |COMENTE

Saiba mais sobre a fios-de-ovos, uma ameaça ao seu jardim



TEXTO: Daniel Keny | FOTO: Shutterstock | Adaptação web: David Pereira

A planta parasita cuscuta, também conhecida como fios-de-ovos e macarrão | FOTO: Shutterstock

No Brasil, podemos ver a Cuscuta spp cobrindo diversos tipos de arbustos. Os seus prediletos são: coroa-de-cristo (Euphorbia milii), por causa dos espinhos que ajudam ela a se enroscar, o pingo-de-ouro (Duranta erecta aurea), muito usado em cercas vivas, o hibisco (Hibiscus rosa-sinensis), com suas flores e folhas macias e o resedá (Lagerstroemia indica), arbusto comum em calçadas por ter raízes não agressivas e ser resistente à poluição urbana.

A cuscuta, também conhecida como fios-de-ovos e macarrão, engana com a sua beleza e aparência inofensiva, mas é uma das plantas parasitas mais fortes que existem. São cerca de 150 espécies diferentes com fios amarelos, rosa, vermelhos ou laranja, todas elas desprovidas de clorofila, ou seja, são incapazes de realizar fotossíntese e produzir oxigênio. Daí a sua necessidade de parasitar outras herbáceas. Ela suga a seiva, quase sempre até a morte da hospedeira. Sua estratégia é se enroscar até cobrir a copa, formando uma rede espessa que leva ao sufocamento e à desnutrição da planta.

Características da planta parasita fios-de-ovos: Quando está bem forte, a cuscuta finalmente floresce para continuar o ciclo. Suas flores, apesar de minúsculas, atraem vários tipos de insetos, que as polinizam. “As sementes são leves, portanto o vento as dispersa facilmente. Segmentos de caules que são levados pelas aves para a confecção de ninhos também ajudam a espalhá-las”, afirma Sergio Menon, engenheiro agrônomo e paisagista da Grama e Flor Paisagismo. A parasita é tão versátil que os seus fios podem sobreviver dez dias no chão, até que consigam uma nova fixação. “As sementes se mantêm férteis no ambiente por até 15 anos e a velocidade do seu crescimento depende das condições do local, mas pode chegar a 7 cm por dia”, explica Menon.


Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 88.


 
COMENTE