fechar X
assine
Newsletter

Dicas para utilizar o ofurô

Publicado em 28 de Aug de 2016 por Isadora Couto |COMENTE

Introduzidos no Brasil pelos primeiros imigrantes japoneses no início do século passado, os ofurôs são a escolha perfeita para quem quer relaxar da melhor maneira. Confira!



Texto Daniel Keny | Adaptação Isadora Couto | Foto Divulgação

Dicas para utilizar o ofurô

Mergulhar em água cálida, envolto em pétalas de rosa, e esquecer da vida dentro de uma charmosa tina de madeira. Cena de cinema? Nada disso. É só escolher um cantinho em casa, preferencialmente cercado de verde, e instalar um ofurô termo que significa banheira em japonês. O antigo hábito da cultura nipônica de banhar-se em tinas de madeira depois de um árduo dia de trabalho, com água variando entre 36 e 40º C, para eliminar os males físicos e espirituais, busca recriar a sensação que o ser humano experimenta durante a gestação, que se acredita ser a melhor condição de vida possível. Velho conhecido dos orientais, o ofurô caiu de vez no gosto dos brasileiros: nós também adoramos relaxar sob a água quente para recobrar a energia e colocar a saúde em dia.

 

Um banho de ofurô, além de aconchegante e eficaz no combate ao estresse, proporciona melhor circulação sanguínea, elimina toxinas do corpo e é um grande aliado para pessoas com problemas ósseos e dores musculares. E não é preciso gastar muito ou disponibilizar um grande espaço para ter um em casa. Ele pode ser colocado em salas de banho, varandas, terraços e até em ambientes de estar. Os modelos tradicionais são feitos de madeira as tábuas são colocadas a partir de um sistema de autoencaixe. Mas, além da madeira, também é possível encontrar ofurôs feitos de cerâmica, fibra de vidro e até de alvenaria. Os mais modernos podem ter dispositivo de hidromassagem e aquecedor elétrico ou a gás adaptados, proporcionando ainda maior conforto. 

 

 

 


Revista Plantas Flores & Jardins | Ed.84 - Assine já e garanta 6 meses grátis de outro título



 
COMENTE